Escolha uma Página

Chega de dureza: 4 passos para sair do buraco

por | ago 17, 2018

V

ocê não faz ideia de onde seu dinheiro foi parar? Tá tão fudido que só nascendo de novo? Seus problemas acabaram! Conheça o Personal Desemburacator Revolution 2000, a solução para sair do buraco!

Com ele você vai poder:

  • Medir o tamanho do buraco em que você se enfiou;
  • Saber o quanto falta para sair de lá;
  • Parar de cavar a própria cova;
  • Construir montanhas de dinheiro!

Não perca mais tempo! Aprenda já a montar o seu Personal Desemburacator Revolution 2000 e saia desse buraco que é a sua vida financeira.

Esse eu agarantio!
Você só vai precisar de:

  • Um celular;
  • Acesso à internet;
  • Vergonha na cara.

É super fácil de montar, veja só:

1º passo: Medindo o tamanho do buraco em que você se enfiou

Medindo o tamanho do buraco
Não faz muito tempo que eu estive lá no fundo do buraco, passando pelos mesmos perrengues que você. Pra falar a verdade, eu ainda estou me recuperando do trauma.

Eu era a pessoa mais leiga do mundo e não fazia ideia do que eu estava fazendo com o meu dinheiro (ou com a minha vida). Então, a primeira coisa que me perguntei foi: que cagada será que eu fiz pra chegar nesse buraco?

A resposta é tão óbvia que hoje em dia eu tenho vontade de me dar uns tapas: gastei mais dinheiro do que eu tinha, .

Mas nem tudo estava perdido, por isso hoje estou aqui para te ajudar a montar o seu próprio Personal Desemburacator.

Primeiro, precisamos medir o tamanho do buraco em que você se enfiou e descobrir onde o seu dinheiro foi parar. Para isso:

  • Escolha um aplicativo de controle financeiro;
  • Importe o extrato de suas contas e cartões dos últimos 6 meses, no mínimo (você pode salvar arquivos que os aplicativos leiam em seu internet banking);
  • Apague todas as categorias que vêm no aplicativo e substitui por essas quatro:

Para viver

Coloque aqui tudo o que for essencial, desde moradia e alimentação até coisas que você não consegue viver sem, como academia ou depilação, por exemplo.

Para se livrar

Todas as suas dívidas: empréstimos, cheque especial, rotativo do cartão, parcela do carro, do apartamento e o que mais de dívida você tiver.

Para o futuro

Educação e investimentos para planos de curto prazo, como viagens, e longo prazo, como aposentadoria.

Para se divertir

Barzinho, restaurante, cinema, motel, viagem, etc.

2º passo: Descobrindo o quanto falta para sair de lá

O quanto falta para sair do buraco

Agora que você já sabe onde o seu dinheiro foi parar, chegou a hora de calcular todas as suas dívidas e o quanto de juros você está pagando.

Primeiro, descubra o valor inicial de cada dívida, o valor que você deveria ter pago lá no começo, antes de ficar endividado. Em seguida, entre no site www.serasaconsumidor.com.br/ecred e veja se consegue encontrar taxas menores.

Agora você pode ir lá no seu banco, mandar uma real e renegociar as taxas e o valor total para o mais próximo possível do valor inicial (ou menos!).

Se não tiver sorte na negociação, você pode fazer a portabilidade da sua dívida. Isso significa trocar uma dívida cara por uma mais barata, ou seja, com taxas menores.

Cuidado: Sempre faça simulações de quanto vai ficar o valor total. Parcelas menores geralmente significam um valor total maior. Também não tente pagar todas as dívidas de uma vez só. Escolha a mais fácil primeiro, já que o ideal é que as dívidas não comprometam mais que 20% do seu orçamento mensal.

Mas será que você sabe qual é o seu orçamento mensal? Então, vamos ao próximo passo.

3º passo: Parando de cavar a própria cova

Cavando cova
Se você chegou nesse buraco, é bem provável que esteja vivendo um padrão de vida que não cabe no seu bolso. Porém, eu sei que você está muito determinado a sair daí, então vamos analisar o quanto você realmente precisa para viver.

Os gastos fixos costumam ser os maiores, então é por eles que vamos começar. Será que você não está morando num lugar muito caro? Você realmente precisa de um carro? Na grande maioria das vezes, vai existir uma opção mais barata.

Então, analise todas as suas contas e descubra o mínimo que você precisa para viver enquanto estiver pagando as dívidas. Cortes serão necessários, mas também não é o fim do mundo. Elimine ou diminua qualquer outro gasto fixo que não seja realmente essencial – tá valendo até voltar a morar com os pais por um tempo.

E, por fim, se não está precisando de roupa nova, não compre! Economize em lazer, coma menos fora e, por favor, anote TODAS as suas receitas e despesas. Faça esse bem a si mesmo e não perca mais o controle do seu dinheiro. Descubra onde vai parar cada centavo.

4º passo: Construindo montanhas de dinheiro

Mergulhando em dinheiro
Vou dar só uma pincelada nesse assunto, já que ele merece um texto especial só para ele.

Encontre maneiras de aumentar sua renda, seja com freelas, vendendo docinho, dando aula, sendo afiliado de algum produto ou o que sua cabecinha linda conseguir imaginar.

Você ainda não está pronto para investir dinheiro, mas pode acelerar muito o seu processo desemburacator se conseguir grana extra para sanar as dívidas.

No próximo post vou falar sobre como nunca mais voltar para o buraco, então se inscreve na nossa newsletter para receber direto no seu email, e também receber dicas excrusivas que eu só mando por lá.

Compartilhe este post com seus amigos quebrados, eles precisam de nossa ajuda! Deixe a sua opinião ali embaixo e, qualquer dúvida, estarei aqui para esclarecer 😀

Persistindo os sintomas, uma benzedeira deverá ser consultada.

Tatiane Hardt

Tatiane Hardt

Uma ilustradora que cansou de lutar contra o seu saldo bancário e resolveu entrar de cabeça no mundo da educação financeira.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *